logo-playkidsapp
Assine agora com 15% OFF no plano mensal!

Vamos conversar sobre os diversos tipos de família?

por | dez 8, 2021

Hoje, 8 de dezembro, é comemorado no Brasil o Dia da Família. Você já refletiu sobre os diversos tipos de famílias que existem? Nossa sociedade é composta por indivíduos com diferentes histórias, raças, etnias, gêneros, orientações sexuais e histórias.

Essas e outras características contribuem para a diversidade, tão presente em nosso cotidiano, em todos os espaços. Mas independentemente da maneira como cada um se apresenta na sociedade, há uma referência intrínseca a todos: a família.

Pois é, a família é a primeira sociedade em que convivemos. Forma, portanto, a base para a criação de qualquer indivíduo. É no seio familiar que aprendemos conceitos como respeito, partilha e disciplina.

O fato é que, assim como há diferenças entre as pessoas, também existem diversos tipos de famílias. Vamos conhecer juntos cada uma delas?

Leia mais:
Como fortalecer as relações familiares?
Trabalho e família: como dar conta de tudo?
Como criar uma rede de apoio?

Conheça 10 tipos de famílias e suas diferentes dinâmicas!

Você já ouviu o termo família de origem? Ou família nuclear? Sabe o que é uma família numerosa? Ou, então, uma família anfitriã? Descubra o significado destes conceitos agora mesmo!

Família de Origem

Trata-se da família que a maioria das pessoas conhece, que surge a partir da união única entre dois adultos e uma linha de descendência. Em outras palavras, os pais e seus filhos.

Esse tipo de família é composto pelos subsistemas conjugal, paternal, filhos e irmãos. O casal progenitor gera novos indivíduos, criando-os e educando-os em um entorno familiar.

A origem, presente no nome da família, é o aspecto que define as pessoas. Os membros dessa família são bastante influenciados pela base familiar, inclusive em questões de saúde, pois doenças genéticas podem ser repassadas entre gerações.

Família Extensa

Já a família extensa é formada por todos os seus membros de consanguinidade, ou seja, vão além do núcleo de convívio de um mesmo lar. Isso significa que as relações não são única e exclusivamente entre pais e filhos.

Também faz parte da família extensa outros familiares de consanguinidade, como avós, tios e primos. Note que, até aqui, a família como muitas pessoas entendem como apenas uma, é classificada em dois tipos.

Família Nuclear

A família nuclear, como o nome aponta, diz respeito aos membros que vivem em um mesmo núcleo familiar, ou seja, em um único lar. É o caso das famílias onde avós, pais, tios, primos e/ou outros membros moram juntos.

Esse tipo de família pode ser classificada como:

  • Família nuclear simples;
  • Família nuclear biparental;
  • Família nuclear monoparental;
  • Família nuclear ampliada.

Para entender a família nuclear e qual é a sua classificação, basta fazer um genograma. Trata-se de uma representação gráfica com os membros da família, ao menos de três gerações, e quais relações possuem entre si.

Família Reconstituída

A família reconstituída é caracterizada pela introdução de uma nova relação conjugal na família, com ou sem filhos de relacionamentos anteriores.

O nome faz referência às famílias formadas ou reconstituídas por pessoas alheias à família de origem, provenientes de outros núcleos familiares. Vamos ver um exemplo?

Dois adultos que constituem uma família de origem acabam se divorciando. Um dos progenitores inicia um relacionamento conjugal com outra pessoa, fazendo com que seus filhos se adaptem à chegada dessa nova companhia quando ela passa a morar na mesma casa.

Família Monoparental

A família monoparental é formada por um dos progenitores, mãe ou pai, e seus filhos. Utilizando o exemplo da família reconstituída, imagine que a outra parte ficou encarregada dos filhos. Ela forma uma família monoparental.

Mas é importante desconstruir conceitos e compreender que outras maneiras de ter uma família monoparental, como por meio de adoção, gravidez não desejada e gravidez planejada e independente (inseminação artificial ou não).

Até quando um dos progenitores falece a família de origem passa a ser monoparental. A ausência de outro progenitor, independentemente do motivo, constitui esse tipo de família.

Família Anfitriã

Dos tipos de família, a anfitriã costuma ser confundida com a adotiva. No entanto, as famílias anfitriãs são aquelas que acolhem temporariamente uma ou mais crianças, diferentes da sua.

Isso ocorre por diversos motivos, sendo um deles a necessidade de separação dos pais e a intervenção dos serviços sociais até que os progenitores resolvam suas pendências.

Família Numerosa

A família numerosa pode ser qualquer uma das famílias anteriores ou as próximas, porque o seu critério é baseado na quantidade de filhos. Em alguns países, como a China, havia uma política de filho único para desacelerar o crescimento populacional.

Essa política existia desde a década de 1970 e foi flexibilizada ao longo do tempo. Em 2021, a China passou a permitir três filhos por casal, portanto, antes da autorização, qualquer família com mais de um filho era considerada numerosa por lá.

O conceito de família numerosa muda a cada lugar e tempo, pois novas necessidades surgem e conceitos são reescritos.

Família sem Filhos

O casal que vive junto, tem um projeto de vida em comum, se ama e se apoia, mas não tem filhos, também é uma família. Além disso, esses adultos participam de outras famílias e, assim como as demais, podem migrar de classificação.

Caso eles venham a ter filhos, passam a ser uma família de origem; se adota, uma família adotiva; se ultrapassam a quantidade de filhos que o lugar onde vivem considera não numeroso, passam a ser uma família numerosa, e por aí vai.

Família Monoparental

A família monoparental é formada por um dos progenitores, mãe ou pai, e seus filhos. Utilizando o exemplo da família reconstituída, imagine que a outra parte ficou encarregada dos filhos. Ela forma uma família monoparental.

Mas é importante desconstruir conceitos e compreender que outras maneiras de ter uma família monoparental, como por meio de adoção, gravidez não desejada e gravidez planejada e independente (inseminação artificial ou não).

Até quando um dos progenitores falece a família de origem passa a ser monoparental. A ausência de outro progenitor, independentemente do motivo, constitui esse tipo de família.

Família Homoparental

Como o nome indica, é a família cujos progenitores compartilham o mesmo gênero, ou seja, dois homens ou duas mulheres. Quando optam por ter filhos, geralmente recorrem à inseminação artificial ou à adoção.

Mesmo que a família homoparental tivesse menos visibilidade, ela sempre existiu. Na atualidade, a família homoparental é cada vez mais respeitada, por se tratar de um tipo de família.

Família Adotada

A família adotada é aquela cujos progenitores decidem adotar filhos. Mesmo não sendo os pais biológicos, exercem o papel ou a função dos pais, promovendo educação, saúde e todos os cuidados que esse tipo de relação implica.

O ato de adotar é especial, pois não passa pelo processo biológico de concepção. Por um lado, crianças abandonadas recebem a oportunidade de ter uma família; por outro, adultos se transformam em pais.

 

Como conversar com as crianças sobre os diferentes tipos de famílias?

Para conversar com as crianças sobre os diferentes tipos de famílias, é fundamental dividir esse papo em três etapas. São elas:

  • Explicar e educar;
  • Ser o principal exemplo;
  • Proporcionar meios para entender que o diferente faz parte da vida.

Sendo assim, o primeiro passo é explicar o que é diversidade. É legal reforçar que as diferenças existem e que elas não tornam alguém melhor ou pior. Também que não há nada “normal” ou “certo”.

É fundamental falar para a criança que todos os tipos de famílias são especiais e devem ser valorizadas e respeitadas.

Tenha em mente que sua tarefa mais importante é ser o principal exemplo. Crianças aprendem observando adultos, portanto, fale sobre como é a família de vocês.

Por fim, trata para o dia a dia a oportunidade de conviver com as diferenças. Livros, filmes, músicas, desenhos e outras mídias, além da conversa, são fundamentais para facilitar o entendimento a respeito.

Observe que os diferentes tipos de famílias nos mostram como a sociedade é diversa e, principalmente, fluida. Circunstâncias, desejos e objetivos, permitindo que até os tipos de famílias acompanhem as transformações.

Independentemente disso, esses núcleos de convívio nunca deixam, nem deixarão de ser, famílias!

Seja vivendo momentos divertidos em família ou quando você precisa de um tempo só, o PlayKids App é um parceiro para qualquer hora. Com atividades para serem desenvolvidas com a família, os conteúdos do aplicativo passam por uma curadoria de especialistas e pedagogos, e contam com desafios que acompanham cada fase da criança. Faça parte da família de assinantes do PlayKids App e garanta todos esses benefícios! Clique aqui e saiba como assinar!

Categoria:
Família
Escrito por Equipe do Blog PlayKids

Escrito por Equipe do Blog PlayKids

A equipe do Blog PlayKids é formada por especialistas em desenvolvimento infantil, educação e tecnologia, parentalidade e educação.
2 e-books para aproveitar as férias com as crianças. Baixe agora.

Nossas Redes Sociais

PlayKids News

Mais lidas

Conheça o PlayKids

O que é PlayKids App?
Qual a importância dos aplicativos educacionais?
Você sabe como funciona o PlayKids?
Saiba como assinar PlayKids
Assine agora com 15% OFF no plano mensal!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =

Mais Posts
O desafio da defasagem escolar

O desafio da defasagem escolar

O desafio da defasagem escolar é uma questão importante a ser debatida. Seja entre educadores, líderes escolares e também pelos pais. Durante a pandemia, as escolas fecharam, os alunos tiveram contato com outro método de aprendizagem e todas essas mudanças podem...

Ei, quer receber nossas
novidades toda semana?

E-mail cadastrado com sucesso!

Pin It on Pinterest