logo-playkidsapp
Promoção Dia das Crianças

5 dicas para a segurança das crianças na internet

por | out 11, 2021

O universo online é um gigantesco emaranhado de informações, redes sociais, pessoas e entretenimento. Porém, todo cuidado é pouco, especialmente com as crianças que passam horas online. Por isso, é bom saber algumas dicas para a segurança das crianças na internet.

Em um universo difícil de controlar, pais e responsáveis precisam se cercar de todas as ferramentas e ações possíveis. A prevenção cuida, por exemplo, que os pequenos consumam conteúdos inadequados ou entrem em contato com desconhecidos. Também deve-se proteger das exposições da rotina, o que os torna vulneráveis.

Dar limites e impor controle desde os primeiros contatos com o universo online é o mais aconselhável. Isso facilita, inclusive, para flexibilizar o poder de uso da internet com o passar dos anos, quando houver maturidade.

Vamos conhecer algumas dicas para a segurança das crianças na internet? Siga conosco e entenda o motivo de serem tão importantes para os pequenos.

5 dicas para a segurança das crianças na internet

Saber os rastros que os filhos deixam na internet é essencial para evitar problemas. Há diversos riscos que envolvem a superexposição e a segurança dos menores.

Fazendo uso de alguns cuidados simples e conversando com os pequenos, tudo se torna mais fácil. Assim, a criança pode aproveitar de maneira saudável a internet que, querendo ou não, faz parte da realidade atual. Vamos conferir algumas dicas simples!

1. Controle de privacidade

A primeira, e mais importante, das dicas para a segurança das crianças na internet é o controle.

Ter a gestão da privacidade é um dos itens primordiais e que deve ser levado muito a sério por pais e responsáveis. Algumas ferramentas e dispositivos permitem que os pais bloqueiem determinados sites e aplicativos.

Além disso, é necessário cadastrar o e-mail de um adulto e, se possível, algum programa de acesso remoto ao smartphone ou tablet, que alerte sempre que a criança tentar acessar algo além daquilo que é permitido no aparelho.

2. Tenha livre acesso aos perfis em redes sociais

Criança é criança, e precisa ser vista, auxiliada e guiada como tal. Por isso, os pais precisam ter total acesso a tudo que seus filhos fazem online.

O ideal é não permitir que os pequenos tenham perfis na rede. Porém, sabemos que, conforme as crianças vão ficando mais velhas e chegando à puberdade, fica mais difícil resistir aos pedidos constantes.

Quando essa fase chegar, crie um perfil para você e para seu filho. Ou seja, tenha usuário, senha e coloque o seu e-mail para ser receptor de notificações e quaisquer alterações nas privacidades.

Oriente a não deixar o perfil aberto e para adicionar apenas pessoas conhecidas. E, claro, ao menos uma vez por semana acesse a conta para realizar uma varredura.

3. Bloqueio de sites impróprios

Continuando nas dicas para a segurança das crianças na internet, precisamos falar de limites.

Sempre que possível, restrinja o acesso de seu filho a sites, aplicativos e plataformas que possam disponibilizar conteúdos sensíveis à sua idade.

Plataformas de streaming já possuem essa opção logo que o perfil é criado. A maioria dos navegadores usados em notebooks, tablets e smartphones também permitem bloquear determinados endereços.

Converse com seu filho desde os primeiros passos online, fale que sempre que for necessário pesquisar, baixar ou assistir algo, é necessário pedir ajuda e permissão. Infelizmente, por mais cuidados que se tenha, é impossível bloquear tudo. Por isso, a criança precisa sentir segurança a cada novo passo.

4. Restrição de acesso

É impossível manter os pequenos longe da tecnologia. Por mais que os pais evitem entregar celulares e tablets em suas mãos na primeira infância, essa hora vai chegar cedo ou tarde.

Uma das melhores dicas para a segurança das crianças na internet é reservar um aparelho só para ela. Dessa forma, é possível restringir o acesso a uma série de aplicativos, sites e plataformas. Como? Da seguinte forma:

  • Desinstale ou desative aplicativos que não permitam controle parental;
  • Não deixe cartões de crédito ou demais formas de pagamento ativas na loja de apps do dispositivo;
  • Limite o tempo de uso diário;
  • Bloqueie termos, palavras e tudo mais que puder em aplicativos e navegadores;
  • Faça uma varredura de tudo que foi acessado e visto por seu filho periodicamente.

Lembre-se que crianças não possuem muito discernimento sobre o que é certo ou errado. Por isso, é importante que os pais fiquem atentos, orientem e limitem seus passos virtuais.

5. Limitar exposição

Chegamos a uma era onde todo mundo quer fazer sucesso online. Viralizar, virar meme e conquistar milhares de seguidores. No entanto, quando falamos de crianças, é importante que nos preocupemos com suas privacidades.

Isso significa que, caso você permita, compartilhe ou crie um perfil para seu filho nas redes sociais, é fundamental que não exponha dados e referências. Ou seja, nada que quem ver, possam associar à realidade e rotina da criança. Alguns exemplos são:

  • Não permita a publicação com uniforme escolar. Isso dará uma localização muito sigilosa da criança;
  • Evite publicar imagens em tempo real, indicando a localização exata em que a criança está;
  • Não publique fotos de biquíni ou trajes íntimos. Estas são usadas por criminosos em sites de pornografia infantil;
  • Não deixe o perfil aberto;

Sua função como mãe ou pai é limitar quem terá acesso às redes do seu filho ou filha. Ou seja, controle ao máximo quem terá permissão para acompanhar a rotina da criança. Olhe constantemente a conta e não permita que a criança responda a ninguém — que não seja de extrema confiança — em mensagens privadas.

Mantenha sempre o diálogo aberto com seu filho

Crianças precisam ser auxiliadas e orientadas desde os seus primeiros anos de vida e, também, precisam entender o motivo de poderem ou não fazerem determinadas coisas.

É preciso quebrar a barreira que, por muitos anos, foi imposta por uma sociedade patriarcal e autoritária. Nela, adultos ditavam regras e crianças e adolescentes apenas obedeciam. Esse tipo de comportamento, enraizado na sociedade em todo o mundo, fez crescer uma geração de adultos que se acostumou a ocultar fatos sobre si para os pais.

Quanto mais cedo você se colocar à disposição para conversar sobre tudo com seu filho, mais fácil será o caminho para que ele confie plenamente em você. Isso torna tudo mais tranquilo, a criança não arma barreiras e seu comportamento online é compartilhado com mais franqueza e honestidade.

Quando você diz para uma criança que ela não pode acessar tais conteúdos, ou que precisa de supervisão, é importante explicar as razões por trás desse limite imposto. Sempre de forma acessível, usando figuras de linguagem e exemplos que componham seu universo.

Não ameace, vire as costas ou brigue. Dialogue, explique e coloque-se disponível para ajudar sempre que necessário.

Falar sobre dicas para a segurança das crianças na internet, é falar sobre educação e rotina saudável. É preciso estar sempre atento sobre o que acontece no universo virtual e lembrar que nesse ambiente tudo acontece muito rápido. Logo, é preciso atenção redobrada com as crianças.

Você sabia que o PlayKids App é uma plataforma criada e pensada para levar diversão, conhecimento e segurança para os pequenos? Tudo isso com total controle parental fácil e intuitivo. Venha fazer parte desse universo mágico!

Escrito por Equipe do Blog PlayKids

Escrito por Equipe do Blog PlayKids

A equipe do Blog PlayKids é formada por especialistas em desenvolvimento infantil, educação e tecnologia, parentalidade e educação.

Nossas Redes Sociais

Mais lidas

Conheça o PlayKids

O que é PlayKids App?
Qual a importância dos aplicativos educacionais?
Você sabe como funciona o PlayKids?
Saiba como assinar PlayKids
Promoção Dia das Crianças

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 2 =

Mais Posts
A importância de cuidar de quem cuida

A importância de cuidar de quem cuida

Você conhece a importância de cuidar de quem cuida? A chegada da pandemia causada pela Covid-19 trouxe diversos problemas. Aumentaram as taxas de doenças mentais entre pais, por exemplo. Também foram afetadas as crianças que tiveram que passar maiores períodos em...

Ei, quer receber nossas
novidades toda semana?

E-mail cadastrado com sucesso!

Pin It on Pinterest