banner_header

Home office com crianças: como equilibrar?

por | ago 5, 2020

Há mais de 100 dias fomos abruptamente convidados a experimentar uma nova relação com nossos filhos e trabalhos. Sempre acreditamos que não tínhamos duas vidas e que vida profissional e pessoal sempre estiveram juntas. Levávamos nossos filhos em pensamento para o trabalho e trabalho pra casa. Mas diante de um cenário que tudo se misturou em condições completamente atípicas, tudo ficou escancarado. Passamos dias entre a gratidão de ter mais tempo com as crianças e a exaustão de não termos folga. Para aquelas e aqueles que, assim como eu, têm vivido o home office com crianças, devem concordar comigo: o que estamos vivendo nem poderia se chamar de home office, estamos em casa, sobrevivendo a uma pandemia e tentando trabalhar.

As habilidades que desenvolvemos no home office com crianças

É no exercício da parentalidade, no desafio, erro, conflito que desenvolvemos diversas novas habilidades que precisam estar no nosso currículo, entre elas, nossos filhos nos convidam a nos tornarmos líderes. 

6 dicas para sobreviver ao home office com crianças

Como bons líderes precisamos criar um plano de bem estar para nossa casa e família, por isso escolhemos algumas estratégias pra você conseguir conciliar filhos e trabalho. Antes é preciso deixar claro que não temos uma receita de bolo e que não estamos todos no mesmo barco. Cada família é única e experimenta essa realidade de forma individual. Por isso aqui a ideia é que você se aproprie da direção do seu barco e com essas dicas possa superar esse mar tão agitado e turbulento.

Vamos?

1. Convoque a família para uma reunião de alinhamento

Convoque todos os membros da casa para uma reunião onde será explicado sobre a situação do vírus e sobre os desafios dessa fase. Seja honesto com as crianças e as convide a assumir as responsabilidades da casa e das tarefas do dia. 

Uma rotina definida garante previsibilidade e segurança para a família. Liste as suas tarefas profissionais previamente e as atividades das crianças (se tiverem compromissos da escola em ambiente virtual, por exemplo, ou tarefas domésticas como arrumar as camas e colocar a mesa). Coloque na rotina o tempo de cada atividade. Reveja e estabeleça novos combinados para fortalecer os vínculos familiares já que todos estão no mesmo barco. As crianças adoram se envolver de maneira útil e isso desperta o senso de pertencimento delas.

2. Acorde e durma nos mesmos horários

Home office não é um período sem rotina, como férias ou feriados. É preciso reorganizar a rotina e estabelecer novos combinados, mas manter os hábitos de acordar e dormir nos mesmos horários. É uma oportunidade para acrescentar e não necessariamente mudar o que já está estabelecido.

3. Estabeleça seu local de trabalho

É preciso deixar claro para todos que você estará trabalhando naquele espaço. Faça o mesmo com as crianças e defina o local das atividades escolares e brincadeiras (muitas escolas disponibilizaram material em ambiente virtual para as crianças). Tire o pijama, se arrume, estabeleça hora para começar e terminar e avise os membros da casa. Combine com a criança um código para momentos em que não é permitido interrupção. Pode ser uma marca verde ou vermelha na porta ou na cadeira. Essa definição é uma brincadeira por si só. 

4. Mantenha o bom humor e empatia

O que está acontecendo é uma novidade para todos nós. Comece o dia respirando e entendendo que faremos o que for possível, daremos o nosso melhor, mas que as coisas não serão como se estivéssemos vivendo a normalidade. Aceite os desafios. Entenda que é completamente normal e aceitável pedir um minuto da call para atender uma criança, basta ser honesto e sincero com quem está do outro lado. Com os filhos, lembre-os do que foi combinado. Isso precisa ser sempre retomado. É no exercício da parentalidade que desenvolvemos diversas novas habilidades socioemocionais como empatia, liderança empática, criatividade, negociação e nesse momento estamos com a oportunidade de um treinamento intensivo de soft skills.

5. Considere intervalos de conexão

A atenção indevida é uma forma que a criança tem de mostrar que não está se sentindo parte. Crianças querem se sentir aceitas e estão todo tempo buscando isso de nós. Por isso é importante convidar a criança a participar na construção de uma nova rotina da casa nessa fase. Divida as tarefas e coloque intervalos para que todos fiquem juntos por alguns instantes. A técnica Pomodoro é uma ótima ferramenta nesse sentido. São 25 minutos de atividade e 5 de intervalo. 

6. Acolha as suas próprias emoções

É preciso cuidar das próprias emoções para não afetar as relações. A nossa agitação pela ansiedade e medo é percebida pelas crianças e isso afeta a forma como todos se comportam.

Devemos ser honestos com nossos filhos. Contar o que está acontecendo, explicar sobre os cuidados que precisamos ter em casa. É importante destacar que não precisamos transmitir medo ou preocupação excessiva, mas deixar as crianças saberem o que está acontecendo com o mundo de forma clara.

Este momento é um convite para que os filhos se sintam parte da família e possam, inclusive, propor soluções para os dilemas de casa. As crianças querem se sentir pertencentes e, quando se sentem melhor e envolvidas nas questões de casa, tendem a colaborar mais.

Leia mais:

Categoria:
Família

Escrito por Camila Antunes

Mãe da Bel e do João, é advogada, pedagoga, coach e educadora parental e cofundadora da Filhos no Currículo. Uma consultoria de transformação cultural para tornar as empresas melhores lugares para profissionais com filhos trabalharem, se desenvolverem e ocuparem posições de lideranças. Camila é autora convidada e seus textos não refletem, necessariamente, a opinião do Blog PlayKids.

Mais lidas

Conheça o PlayKids

O que é PlayKids App?
Qual a importância dos aplicativos educacionais?
Você sabe como funciona o PlayKids?
Saiba como assinar PlayKids

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 3 =

Mais Posts
O que é paternidade afetiva?

O que é paternidade afetiva?

Quais os laços ou atribuições legais determinam o que pode ou não ser considerado um núcleo familiar? Traços genéticos, um documento assinado ou o livre arbítrio de cuidar e amar outrem como seu filho? Essa última parte define o que é paternidade afetiva. Um termo...

Ei, quer receber nossas
novidades toda semana?

E-mail cadastrado com sucesso!

Pin It on Pinterest